terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O Que Fazer Quando se Está ‘À Beira do Abismo’?



Quando a única coisa que um homem tem é sua reputação, até a vida pode ser posta em risco para provar sua inocência.
Estreou no começo de fevereiro nos cinemas o filme “À Beira do Abismo” (Man on a Ledge) dirigido pelo quase desconhecido cineasta dinamarquês Asger Leth. O filme passeia por entre os gêneros ação, policial e suspense.

O novo astro Sam Worthington (protagonista nos blockbusters Avatar, Fúria de Titãs e Exterminador do Futuro 4) volta às telonas na pele do policial honesto Nick Cassidy. Envolvido numa trama muito obscura por motivos alheios a sua vontade, ele é acusado de ter roubado uma jóia de valor altíssimo enquanto fazia a segurança do inescrupuloso empresário David Englander, vivido por Ed Harris (vale destacar que Harris, como sempre, faz um vilão que nos trás os piores sentimentos à tona, confirmando a autenticidade do ator, mesmo fazendo um papel tão clichê).

Preso, humilhado e injustiçado Cassidy agora oscila entre as imagens da muralha da prisão e o céu azul. Planeja uma possível vingança até que a morte de seu pai lhe dá a oportunidade certa.

O filme tem bons momentos com diálogos inteligentes, cenas de perseguição ao gosto hollywoodiano e takes que dão frio na barriga onde Worthington, tentando provar sua inocência, pendura-se numa sacada dum grande prédio ameaçando suicídio.

Atuações dignas de Elisabeth Banks (da franquia Homem Aranha, e do filme W.), como uma policial especialista em lidar com suicídio, que vive seus próprios dramas pessoais e também Edward Burns como um tira sarcástico, porém compromissado, e a curta aparição da estrela da série Cold Case Kathryn Morris como uma repórter sensacionalista faz de ‘A beira do Abismo’ uma boa opção para quem quer ir aos cinemas nesse período de carnaval.

Outra coisa a ser pensada assistindo ao filme é: até que ponto podemos chegar para provar nossa inocência, ou mesmo para realizar algo demasiadamente importante para nós? Que linha tênue existe entre as verdades pregadas pelo mundo e as mentiras plantadas pelo sistema?

Quem sabe a obra mostre um pouco da carência e do desespero do homem em afirmar seu senso de justiça. Coisa pouco vista entre os que foram justificados por uma força maior que a integridade humana. Jesus é a única fonte de justiça ao homem!

Justamente por ter sido caluniado, injustiçado, torturado, preso e morto. A diferença entre Jesus e Cassidy? O “desespero” de Jesus não foi para provar sua inocência, mas para fazer inocente cada culpado na face da Terra.
Assista ao filme a reflita sobre a justiça que foi feita em sua vida.

Wendel Bernardes.

Curta o Trailler do Filme:

2 comentários:

Regina Farias disse...

Taí...

Talvez este seja o único postado aqui que eu ainda não tenha visto. Mas como ainda não saiu das telonas... rss

E devo dizer que ver constantemente o trailler dele tem me atraído a atenção.

O carnaval já passou, mas valeu pela dica, serve pra o findi, apesar de ultimamente ter preguiça de 'ir ao cinema' fora de casa :)

bjs

R.

Cinema Com Graça - Wendel Bernardes disse...

Ê... ilustres visitas!

O filme é bem legal Rê, embora tenha uma levada meio clichê, mas gosto dos atores envolvidos e a trama, ao meu ver, termina bem....

Acho que vale a pena sair de casa, mas se num der, em dois meses já deve estar em DVD, aí fica melhor, né? kkkkkkkkkkkk

Beijo, menina!